CIRURGIA PLÁSTICA


O QUE É CIRURGIA PLÁSTICA?


A cirurgia plástica é uma das mais de 50 especialidades médicas reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Por meio de avançadas técnicas cirúrgicas, seu objetivo é reconstituir alguma parte do corpo.


A cirurgia plástica pode ser de dois tipos:

Estética: tem o objetivo de melhorar a aparência do paciente. Alguns exemplos são: lipoaspiração, lifting da face, rinoplastia (plástica de nariz), etc.


Reparadora: aqui o objetivo é não apenas melhorar a aparência do paciente, mas também dar a ele maior qualidade de vida por meio da correção de defeitos congênitos ou adquiridos. Correção de fenda palatina (lábio leporino), enxertos de pele em queimados ou vítimas de acidentes e reconstrução das mamas em pacientes que tiveram câncer são alguns exemplos desse tipo de cirurgia plástica.

O que é preciso saber antes da sua cirurgia?
 
 
Tipos de cirurgia
Possíveis riscos relacionados com as cirurgias
A decisão de se submeter à cirurgia é pessoal e é você quem terá de decidir se os benefícios atingirão os seus objetivos e se os riscos e complicações potenciais da cirurgia são aceitáveis. O cirurgião irá lhe explicar, em detalhes, os riscos associados à cirurgia. Você deverá assinar o termo de consentimento (Norma do CFM) para assegurar que compreendeu plenamente o procedimento ao qual vai se submeter e quaisquer riscos ou complicações potenciais.

São eles

• Cicatrizes desfavoráveis,
• Sangramento (hematoma),
• Infecção,
• Acúmulo de líquido (seroma),
• Riscos anestésicos,
• Má cicatrização,
• Necrose da pele,
• Dormência ou demais alterações de sensibilidade da pele,
• Despigmentação da pele e/ou inchaço prolongado,
• Assimetria,
• Deiscência (reabertura de uma ferida previamente fechada),
• Necrose do tecido adiposo (gordura),
• Danos em estruturas mais profundas tais como nervos, vasos sanguíneos, músculos e pulmões,
• Dor, que pode perdurar,
• Trombose venosa profunda, complicações cardíacas e pulmonares,
• Fios de sutura podem espontaneamente emergir na pele, tornando-se visíveis ou causar irritação que exijam sua remoção,
• Possibilidade de novo procedimento cirúrgico.

É importante você saber que o paciente também tem responsabilidades e deveres sobre a sua recuperação e que o resultado final dependerá do seguimento irrestrito das instruções dadas pelo cirurgião.

Você poderá entrar em contato direto com o cirurgião em qualquer momento do pós operatório para tirar dúvidas ou para qualquer outra necessidade.